domingo, 1 de maio de 2011

Treino, momento e competência: As penalidades nas decisões dos Estaduais

Mais uma vez gostaria de pedir desculpas, por mais uma semana que quase inatividade aqui do blog. Os problemas com internet ainda continuam me limitando de escrever. Estes problemas ainda não foram resolvidos, e na medida do possível vou postando uma vez ou outra aqui no Futebol Na Veia. Desde já agradeço a compreensão de todos os leitores e visitantes aqui do blog, que continua seu caminho, mesmo com todas as adversidades.

Bom, vamos ao que realmente interessa. O título deste post foi bem sugestivo: treino, momento e competência. Pelo menos pra mim, estas são as três virtudes de uma decisão por pênaltis. O treino antes da partida decisiva, para ganhar confiança. O momento, que talvez seje o fator mais importante destes citados. O psicológico da equipe e do próprio batedor contam demais em uma hora decisiva. E, é claro, a competência e a técnica do jogador, que também se tornam essenciais. E neste final de semana, de grandes decisões dentro dos Campeonatos Estaduais, tivemos três jogos que foram decididos por estes fatores: as cobranças de pênalti, que fazem o torcedor quase "infartar", seja na arquibancada ou em frente a televisão, e o atleta se consagrar ou virar um vilão. Alguns acreditam que penalidade é loteria, mas prefiro ficar com as três virtudes que eu citei.

Pelo Campeonato Paulista, depois da classificação do Santos no sábado, que contou com o grande talendo da dupla Ganso-Neymar, o dérbi decidiu a outra vaga para a final da competição. Palmeiras e Corinthians protagonizaram um jogo bastante duro na primeira etapa, onde o futebol foi deixado um pouco em segundo plano. Os palmeirenses optaram por reclamar da arbitragem em vez de jogarem bola, enquanto o Corinthians também entrava na pilha. A expulsão de Danilo do lado alviverde inflamou ainda mais o clima. Mas, na segunda etapa, os animos se acalmaram e o verdão, que entrou pressionando o rival, abriu o placar, numa cabeçada do zagueiro Leandro Amaro. Então, Tite mexeu na equipe, e colocou o "iluminado" Willian na partida. Não deu outra. Aos 19 minutos, ele desviou de cabeça, a zaga verde ainda tentou tirar em cima da linha, mas a bola já havia entrado. Tudo igual. O jogo ficou aberto, mas a igualdade persistiu. Vamos as penalidades. E o timão teve mais competência. Converteu suas seis cobranças, com Chicão, Willian, Fábio Santos, Leandro Castán, Morais e Ramírez, enquanto o Palmeiras desperdiçou uma, com João Vitor. Num jogo bastante disputado, tenso e duro, o alvinegro superou o alviverde e agora encara o Santos na final do Paulistão. Duelo bastante esperado de alvinegros. O peixe tem jogo duro no México pela Libertadores no meio de semana, enquanto o timão terá semana livre apra focar na final. Este fator fará diferença?

No Rio de Janeiro, outro clássico que foi decidido nas cobranças de pênalti. Vasco e Flamengo fizeram a final da Taça Rio. O time da Colina precisava vencer o segundo turno para forçar mais duas partidas. Já o rubro-negro se vencesse garantia a taça de campeão carioca. E, assim como em São Paulo, tivemos um clássico no Rio muito disputado, igual e pegado. Muita marcação na primeira etapa, finalizações mal calibradas e raras chances de gol. Fernando Prass e Felipe foram os destaques, aparecendo uam vez ou outra. Na segunda etapa, o panorama não mudou muito. Jogo bastante nivelado, com o Flamengo fechado e o Vasco não conseguindo criar. Aliado com o cansaço de ambas as equipes, o jogo ficou morno, com muitos passes errados e disputas no meio-de-campo. O cruzmaltino tentou algumas coisa, até chegou com mais perigo, mas não conseguiu transformar as poucas oportunidades em gol. Assim, as penalidades seriam o fiel da balança novamente. E o Flamengo, que já havia ganhado duas disputas, venceu mais uma e se sagrou campeão carioca pela 32ª vez. Contando com os erros dos vascaínos Felipe Bastos e Élton e a maior tranquilidade de seus batedores para levantar o caneco. O momento das cobranças contou demais. O psicológico dos cruzmaltinos pesou, e o Vasco mais uma vez foi derrotado numa final. Melhor para o urubu.

Pra fechar, no Rio Grande do Sul, tivemos outro super clássico decidido na bola parada. Na mesma situação do Vasco no Carioca, o Internacional precisava vencer o segund turno do Gauchão para forçar a final geral contra o Grêmio, campeão do primeiro turno. E, jogando no Beira-Rio, o colorado impôs sua superioridade e organização dentro de campo. Aproveitou também a situação adversa do rival, que vinha de uma semana conturbada, para abrir o placar ainda no primeiro tempo, com gol do artilheiro Leandro Damião. Porém, na segunda etapa, Renato Gaúcho mexeu na equipe, e, contando com a expulsão do volante Guiñazu por parte do rival, conseguiu equilibrar as ações, diminuir o ímpeto colorado e empatar a partida. Mas foi sofrido. O treinador gremista sacou o zagueiro Vilson e colocou o atacante Júnior Viçosa na partida. E foi o próprio garoto que igualou o marcador, aos 41 minutos. O jogo então ganhou outros ares. Oportunidades de gol apareciam dos dois lados, mas o tempo era curto, e a decisão foi mesmo para os pênaltis. E o colorado levou a melhor. Marcando com D'Alessandro, Leandro Damião, Kleber e Rodrigo, o Inter também contou com so desperdícios de Borges e Fernando do lado do Grêmio para garantir o título da Taça Farroupilha e estender a gigante rivalidade dos grenais para mais duas partidas. Aguenta o coração do torcedor gaúcho!

É isso aí, torcedor brasileiro. Com todas as disputas dos tão falados e polêmicos, mas emocionantes Campeonatos Estaduas, as rivalidades regionais afloram cada vez mais. E as provocações do dia seguinte também, assim como a euforia por um título ou uma classificação. E as penalidades máximas foram protagonistas destas rivalidades e decisões neste final de semana. Sendo treino, momento, competência ou até loteria, os pênaltis mexem com qualquer fanático por futebol. E os estaduais estão dando este gostinho para o torcedor, que, em meio a esta bagunça e com datas exageradas nos Campeonatos regionais, pelo menos é brindado com uma boa dose de disputa e emoção.

14 comentários:

  1. Gabriel, concordo com vc.
    Penalt é muito mais que sorte, a sorte tbm ajuda, é verdade, mas jogador profissional não pode só contar com a sorte. Melhor para Flamengo, Inter e Corinthians.

    BLOG DO CLEBER SOARES
    www.clebersoares.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Xará, pênalti é sorte, competência e concetração, se um desses fatores falham o pênalti é mau convertido, isso é fato....

    Parabéns para Flamengo, Inter e Corinthians que tiveram a competência de ter vencido as cobranças de pênalti...

    Abraços !

    http://www.conexaopaulista.com

    ResponderExcluir
  3. Gabriel, um suspiro pode por tudo a perder num penalti. Acabei de escrever lá no Blog do Cleber sobre isso, eu nunca vou esquecer uma final que o São Paulo perdeu na Libertadores, aquele penalti do Palhinha, até hoje ecoa... hehehe

    Quanto as gozações, meu chefe é tão mala, tão mala... mas com o Santos campeão ele estará insuportável amanhã. hehehe


    De bem com a Vida no No http://apenasumponto.blogspot.com

    Juliana e Larissa são campeãs na China e Bernadinho e sua ação social no http://apenasumpontoesportivo.blogspot.com

    Agora os blogs parceiros do Apenas um Ponto e estão no Apenas um Ponto esportivo e vice e versa

    ResponderExcluir
  4. É muito legal assistir cobrança de pênaltis!!!
    Mas só quando não é contra o time da gente! hehehe

    Tem que estar muito, mas muito concentrado. E tem vários fatores que podem prejudicar.
    Mas de todo jeito, uma decisão ganha tão mais cara de decisão quando é resolvida nos pênaltis, né??
    E a rodada desse fim de semana foi assim, muito bom de assistir!

    Abraço,
    Samira
    http://www.oquedeuerradofc.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. É sacanagem, treinam de manhã, de tarde e ganham um puta salário pra bater pênalti desse jeito? é brincadeira...

    Abraço

    http://gremista-sangueazul.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. O título da sua postagem já diz tudo:faltou treino ao Vasco ou foi cagaço do goleiro? No clássico paulista, o "momento" palmeirense deixou a desejar nos pés do garoto q perdeu o penalti. E Borges... atacante de ofício... foi incompetência? Pra mim, foi!

    Saudações!!!

    ResponderExcluir
  7. Diego Fernandes , Fortaleza - CE3 de maio de 2011 10:00

    Porque vc não fala aqui dos Campeonatos Cearense e Goiano?O Ceará está na final e o Fortaleza está eliminado.Em Goiás houve aquela briga entre os jogadores que depois passou pra torcida e um torcedor esmeraldino morreu!

    Fale mais sobre os outros estaduais.Porque esses aí todo mundo já sabe.

    Abraço.

    Diego Fernandes , Fortaleza - CE

    ResponderExcluir
  8. Talvez a cobrança de penaltes não seja só momento... mas também conta muito a experiencia e a cabeça fria...
    No Clássico paulista, o menino do palmeiras João Vitor, entrou muito bem no jogo... criou muitas oportunidades, e fez a diferença... mas na hora da cobrança... com a Fiel atras do gol, pode ser que ele tenha sentido o peso da responsabilidade... Ao contrario do autor do gol do Corinthians Willian, que converteu sua cobrança.

    http://chutedefora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Carioca, Paulista e Gaúcho. Todos decididos nos penaltis.Será que na final tbm vai ser assim?

    Equipe Blog Gol de Mão
    ww.bloggoldemao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. ei! você vai gostar de conhecer o blog www.doninhoaoanel.blogspot.com
    também é sobre futebol!

    ResponderExcluir
  11. muito legal o post!
    dá uma olhada no meu blog também, doninhoaoanel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  12. Impressionante como o Flamengo conseguiu ser campeão carioca jogando um medíocre 30% de bola...inaceitável o Vaco duelar nos penaltis uma final e perder 3 cobranças pra fora...Aaaah vamos treinar né garotada!

    Já no paulista deu corinthians em um jogo truncado e dificil, classico no valor real da palavra!
    abrass

    @admsport
    http://admsports.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Boas...
    GABRIEL...

    EXCELENTE POST...

    Em relação ao mesmo, apenas direi que cada vez mais os lances de bola parada onde se inclui a grande penalidade se torna decisivo no futebol actual, já que as oportunidades escasseiam.
    O treino desta componente é cada vez mais factor de desiquilibrio entre as equipas.


    Mattos..paixaodabola.blogspot.com

    ResponderExcluir
  14. Beleza Gabriel?

    Esses são os momentos decisivos. definições que colocam todo trabalho à prova em alguns minutos. Por isso, vale quem teve o compromisso de encarar as cobranças como parte do jogo e treinar como tal.
    Forte Abraço.
    Jean Francisco
    esportday.blogspot.com

    ResponderExcluir

Sejam todos bem-vindos ao Futebol Na Veia. Aqui, todos são livres para expor suas opiniões, independentemente qual seja ela, desde que elas sejam feitas com coerência e passividade. Os comentários não são moderados, então pedimos o bom senso de todos. Fiquem a vontade para comentar. Muito obrigado e voltem sempre!