terça-feira, 26 de janeiro de 2010

O que acontece com um jogador na altitude

Com o início da Libertadores, a questão vem a tona. Os jogos na altitude dificultam muito as coisas para times e jogadores que vivem em lugares onde este problema não existe. Brasileiros, argentinos, paraguaios, uruguaios, chilenos, enfim, sentem muito este efeito da altitude. Falta de ar, bola correndo mais rápido, irritações, muitas dificuldades. Clubes bolivianos, equatorianos, peruanos se aproveitam da situação para conseguirem vitórias em jogos que prometiam serem fáceis para brasileiros e argentinos, por exemplo, e vencem os jogos por causa da altitude que pelo futebol propriamente dito.

Um exemplo bem recente é o Cruzeiro, que enfrentou o Real Potosí, da Bolívia, à 4.000metros de altitude, na Libertadores de 2008. A qualidade do time celeste era maior, mas a raposa acabou sendo goleada por 5 a 2. Muitos problemas com a altitude, claro. Agora, novamente, o Cruzeiro está em Potosí, para enfrentar quarta-feira o mesmo time na mesma altitude, pela Pré-Libertadores. Outro exemplo, mas recente ainda, foi com a seleção brasileira anos passado, quando foi enfrentar a Bolívia pelas Eliminatórias. O Brasil perdeu por 2 a 1, quebrando uma grande invencibilidade. Por causa de quem? Altitude. Também pelas Eliminatórias de 2010, a Argentina sofreu muito com a altitude. Foi jogar com a mesma Bolívia. Acabou tomando um 6 a 0 histórico.




A Fifa já tentou proibir jogos com mais de 2.300 metros de altitude, mas enfrentou muita resistência dos países sul-americanos que ficam acima do nível do mar. Até Maradona (justo ele, que tomou uma “sarrafada” dos bolivianos) ficou contra a entidade. A Fifa teve que acatar o pedido.






Confira abaixo os efeitos que um jogador jogando na altitude sofre durante 90 minutos de um jogo de futebol.



1 - Claridade maior: Quem não vive na altitude pode ficar com a vista ofuscada e perder a visão periférica, em jogos à luz do dia.

2 - Dor de cabeça:
Os tecidos incham. O cérebro fica comprimido e causam fortes dores de cabeça.

3 - Menos oxigênio no ar: Em busca de O2, o organismo aumenta o ritmo que buscamos ao ar, eleiminando assim mais gás carbônico do que o comum. Isso pode provocar desidratação, tonturas e desmaios. Como há menos oxigênio, produzimos mais glóbulos vermelhos, responsáveis pela condução de O2 para o organismo.

4 - Mais mitocôndrias:
São responsáveis por transformar O2 em energia. Por isso, quem vive na altitude têm certa vantagem, pois têm mais mitocôndrias e glóbulos vermelhos. Por isso ciclistas vão treinar as altas altitudes, para irem se acostumando e haver uma produção maior de mitocôndrias e glóbulos vermelhos. Terão mais facilidade para gerar energia com o oxigênio do ar e este girar por todo o corpo durante a prática do esporte. O Cruzeiro já foi para a Bolívia cinco dias antes do jogo para se adaptar melhor ao clima da altitude.

5 - Tempo de reação diminui: Como o organismo está gastando mais energia para se adaptar à altitude, a energia é direcionada para órgãos vitais. Falta energia para os reflexos. Os goleiros sofrem com isso, e também com a velocidade da bola.

6 - A altitude também diminui a velocidade do atleta. Um jogador que ao nível do mar consegue correr 13 km/h vê sua capacidade diminuir para 9 km/h acima de 3.000 metros.

16 comentários:

  1. Muito legal o seu blog, me ajudou muito em uma pesquisa para o colégio
    bjs

    ResponderExcluir
  2. tambem achei muito legal , 5 pontos garantidos na aula de ciencias

    ResponderExcluir
  3. Vlw!
    Ganhei Minha Nota Em Ciências Hoje

    ResponderExcluir
  4. Adorei com essa materia o meu trabalho fica TOP!

    ResponderExcluir
  5. e tem como eles se adaptarem??????????

    ResponderExcluir
  6. Se um time que é de uma cidade com altitude alta fosse jogar em uma cidade com baixa altitude, também precisaria de um período de adaptação??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. se um time boliviano, por exemplo, viesse jogar no brasil esse time sairia em vantagem também, pois como têm o organismo adaptado a altas altitudes, possuem mais hemácias, o que fará com que mais O2 circule pelo corpo dos jogadores bolivianos

      Excluir
  7. Gostei muito da matéria e amei o Blog! Parabéns :)
    Seu blog apresenta muita excelência!

    ResponderExcluir
  8. Morava no Brasil na região do ABC São Paulo, estou a 3 meses na Bolivia, jogando bola, como posso fazer para me adaptar melhor treino de seg a sab GYM nas manhãs e campo no período da tarde

    ResponderExcluir

Sejam todos bem-vindos ao Futebol Na Veia. Aqui, todos são livres para expor suas opiniões, independentemente qual seja ela, desde que elas sejam feitas com coerência e passividade. Os comentários não são moderados, então pedimos o bom senso de todos. Fiquem a vontade para comentar. Muito obrigado e voltem sempre!